segunda-feira, 11 de abril de 2011

COMENTÁRIO TEOLÓGICO DA LIÇÃO 3


 

Este COMENTÁRIO TEOLÓGICO DA LIÇÃO DA ESCOLA SABATINA é uma cortesia do seu site missionário www.averdaderevelada.com.br, sempre no propósito de oferecer a todos uma visão clara da VERDADE REVELADA por Deus aos homens através da Bíblia.

 

Faça cópias deste comentário, quantas quiser, gratuitamente, e as distribua em sua igreja, escola e vizinhança. Dê também aos professores da ES que não têm acesso à Internet.

 

Pr. Otoniel de Carvalho

Diretor do Site

________________________________________

 

 

LIÇÃO 3

 

VESTES DE INOCÊNCIA

 

VERSO PARA MEMORIZAR: "Criou Deus, pois, o homem à Sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou" (Gênesis 1:27).

 

Leitura Bíblica da Semana: Gênesis 1 e 2; Mateus 22:1 a 14; Romanos 14:12; 2 Timóteo 3:16, 17; Lucas 21:36; Isaías 53; Apocalipse 19:9;

 

INTRODUÇÃO

 

No Éden, Adão e Eva viviam nus e não sentiam vergonha disso, pois eram como crianças, sem malícia e sem maldade, pois estavam revestidos da glória de Deus. Mas eles pecaram contra Deus, e perderam as vestes de glória, ficando nus em todos os sentidos: física e espiritualmente. Envergonhados com sua nudez, "coseram folhas de figueira e fizeram cintas para si." Gênesis 3:7. Mais tarde, depois de terem conversado com Deus, "fez o Senhor Deus vestimenta de peles para Adão e sua mulher, e os vestiu." Gn 3:21. As vestes de figueira, que Adão e Eva fizeram para si mesmos, representa a justiça própria, ou justiça pela obra humanas, com a qual o pecador tenta se apresentar como justo (coberto, vestido) diante de Deus; enquanto as vestes de pele de cordeiro, feitas por Deus para Adão e Eva, representavam a justiça pela fé em Jesus, "Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo" João 1:29.

 

Todos nós, pecadores, precisamos nos despir de nossas próprias vestes, ou seja, despir-nos de nossa justiça própria, e nos entregarmos, pela fé, completamente a Jesus, para que Ele nos vista com a imaculada veste de Sua justiça.

 

Vamos estudar mais este assunto nesta Lição 3 da ES.

 

LIÇÃO DE DOMINGO, dia 10 de abril.

 

OS PRIMEIROS DIAS

 

Leitura Bíblica do Dia:  Gênesis 1 e 2. 2Timóteo 3:16, 17; Lucas 21:36; Mateus 6:25-34; João 17:3.

 

A leitura atenta de Gênesis 1 e 2 nos mostra como eram e viviam Adão e Eva, os pais da raça humana, quando saíram das mãos de Deus, como seres criados diretamente pelo Senhor. Eram pessoas inteligentes, santas, puras, sem nenhum vestígio de malícia, sem nenhum pensamento mau na mente. Eram como uma folha de papel em branco, sem nenhum risco de deformação, sem nenhuma impureza. Não sabiam o que era pecar. Viviam em total harmonia com Deus, consigo mesmo e com o ecossistema que os abrigava. Aqueles foram os dias mais felizes e gloriosos da vida deles. A glória de Deus os revestia. Uma santa luz vinda do Céu os fazia irradiar brilho, beleza, formosura.

 

Os animais lhes obedeciam às ordens. Adão estava no comando de tudo. Todos os seres animados obedeciam ao seu comando. Alimentavam-se de frutos diversos. Eram plenamente vegetarianos. Não havia dor, tristeza, maldade, violência ou coisa semelhante. Não havia animais ferozes. Mesmo o leão, a onça, o urso, viviam pacificamente com Adão e Eva. Não existia medo na relação dos humanos com os animais. As flores não tinham espinhos. A água dos rios e regatos era cem por cento pura e cristalina. O ar era puro em sua totalidade. O clima era ameno, temperado, sem excesso de calor nem de frio. Adão e Eva viviam com excelente qualidade de vida. O Jardim do Éden era um bosque denso, belo, com árvores, rios, flores, grama, beleza total. Aquele era o lar de Adão e Eva.

 

E assim permaneceram até que Satanás se intrometeu e pôs tudo a perder.

 

LIÇÃO DE SEGUNDA-FEIRA, dia 11 de abril.

 

DESPIDOS, MAS NÃO ENVERGONHADOS

 

Leitura Bíblica do Dia: Gênesis 2:20 a 25.  Mateus 10:16.

 

Criados por Deus, Adão e Eva estavam revestidos da glória divina. Eles não percebiam sua nudez. Não tinham vergonha dela, pois nenhuma malícia havia neles. Eram como duas crianças em corpo adulto. Na mente, havia só pureza. Nenhum sentimento de medo, tristeza, vergonha, timidez, maldade, nada se achava neles. "Estavam nus e não se envergonhavam" Gn 2:25. Eram felizes como indivíduos e como casal. Harmonia e equilíbrio havia em todas as suas ações. Eram como anjos de Deus, santos e puros. Eram cem por cento felizes em sua inocência. Não tinham conhecimento do Mal. Somente o Bem povoava seus pensamentos e sentimentos.

 

A vergonha veio depois do pecado; e juntos vieram o medo, a maldade, a malícia, a cobiça, a violência. Tudo o que é mau e ruim, como doenças, deformações físicas e mentais, e a morte, vieram com o Pecado de Adão e Eva. Tudo neles e ao redor deles se transformou para pior, tornando a vida deles, e de seus descendentes, um constante movimento para baixo, para o túmulo, para o nada. Tudo começou a viver um processo de ENTROPIA, isto é, de envelhecimento e morte. Pecado produz Morte, nunca se esqueça disso ao decidir pecar.

 

Hoje, muitas pessoas andam semidespidas pelas ruas e praças das cidades não por que sejam inocentes, mas porque perderam a vergonha mesmo. Fazem isto por malícia, para provocar a cobiça do sexo oposto; e com esses sentimentos libidinosos, as pessoas se despem para pecar, pois o Pecado é o elemento que comanda suas ações. Até em nossa igreja vemos pessoas se despindo cada vez mais, usando roupas sensuais, provocativas, visando expor o corpo e provocar a cobiça do sexo oposto. Roupas muito curtas, decotes muito cavados, roupas com cortes laterais muito grandes, que sobem até às coxas, blusas de alças ou tomara-que-caia, roupas de tecidos transparentes, que mostram as peças íntimas; tudo isso vem sendo apresentado em nossas igrejas. A justificativa é que vivemos em um país tropical, que exige o uso de roupas leves. Mas não precisava ser tão leve assim!  Há um exagero perigoso no vestuário, o que mostra que um certo grau de apostasia coletiva vem ocorrendo em nossas congregações. É preciso que a liderança da igreja seja mais exigente, e faça valer as normas de moral e bons costumes de que a igreja dispõe em seu manual. Isto sem o uso de violência ou agressão, mas com firmeza e determinação, antes que coisas piores venham a ocorrer em nosso meio, por causa da frouxidão moral de alguns líderes nossos, pastores e anciãos. Nus e sem vergonha, é a realidade da sociedade humana pecadora de hoje. E muitos na igreja estão copiando essa filosofia de vida.

 

LIÇÃO DE TERÇA-FEIRA, dia 12 de abril.

 

O TESTE

 

Leitura Bíblica do Dia: Gênesis 2:16 e 17.

 

Deus deu a Adão e Eva uma só lei. Essa lei seria para eles um teste de fidelidade. Era uma responsabilidade moral que Deus estabeleceu. Se eles queriam viver eternamente em plena felicidade, deveriam cumprir essa lei de um mandamento só: "De toda árvore do jardim comerás livremente; mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás." Gênesis 2:16-17. Era um mandamento específico, claro, sem chances para dúvidas ou ambigüidade. Não era para comer do fruto de uma única árvore. Era um teste de fidelidade. A decisão de comer ou não comer ficava na responsabilidade e decisão de Adão e Eva. A felicidade ou infelicidade deles dependia da decisão que tomariam todo dia. Cabia somente a eles dois definirem o que queriam para a vida deles. Deus os criou com liberdade de escolha, e respeitaria a escolha que eles fizessem. No entanto, liberdade de escolha pressupõe responsabilidade moral pela escolha feita. Eles seriam moralmente responsabilizados diante de Deus por suas escolhas. Se permanecessem obedientes a Deus, e não comessem do fruto proibido, viveriam felizes para sempre. Se decidissem comer do fruto, cometeriam Pecado, ficariam contra Deus, e morreriam eternamente. E todos nós sabemos hoje a escolha terrível que eles fizeram, mesmo sabendo quais seriam as conseqüências.

 

Adão e Eva não passaram no teste de fidelidade. A primeira vez em que ambos entraram em contato com a "árvore do conhecimento do bem e do mal" agiram como se não tivessem ouvido a ordem divina. Decidiram por si mesmos seguir um caminho de oposição ao Deus Criador. Aceitaram a mentira de Satanás: "É certo que não morrereis" e se juntaram a ele na prática do mal. Foi o maior fracasso da vida deles. Um fracasso fatal para eles e para toda a raça humana, que eles ali representavam.

 

Hoje, também, somos desafiados a obedecer diariamente a Deus. Recebemos de Deus DEZ MANDAMENTOS (leia Êxodo 20:3 a 17), uma Lei Moral que nos diz o que não devemos fazer. Era de se esperar que o mundo se tornasse um lugar melhor depois que Deus anunciou os Dez Mandamentos, por volta do ano 1445 antes de Cristo. Mas o que vemos depois disto e até os nossos dias é exatamente o contrário. Praticamente toda a raça humana simplesmente desconhece a Lei de Deus, e age conforme sua vontade suja e pecaminosa. Também os judeus, que receberam a Lei diretamente de Deus, não a seguem. Até os chamados "crentes", ou "cristãos", que leem a Bíblia e sabem melhor sobre a vontade de Deus, agem como se Deus não lhes houvesse dado lei nenhuma. Mesmo na Igreja Adventista, onde a Lei Moral é pregada dos púlpitos e é comentada em livros e lições da Escola Sabatina, não é seguida nem obedecida como deveria ser. A humanidade em geral não passa no teste de fidelidade a Deus. De todos os humanos, de Adão até hoje, somente o homem JESUS de Nazaré cumpriu a Lei Moral de Deus com total fidelidade, pois nunca pecou. Somente Jesus passou no teste de fidelidade; por isso, está habilitado a ser o JUSTO por excelência. Somente JESUS pode salvar os pecadores desobedientes à Lei de Deus. Sua vida foi de permanente obediência. Sua morte foi para cumprir as exigências da Lei. Morte vicária, substituinte, por você e por mim.

 

LIÇÃO DE QUARTA-FEIRA, dia 13 de abril.

 

ROUPAS NOVAS

 

Leitura Bíblica do Dia: Gênesis 3:7 e 21.  Mateus 22:1 a 14.

 

Dois tipos de roupa foram vestidos por Adão e Eva depois do Pecado. Gênesis 3:7 afirma que Adão e Eva "coseram folhas de figueira e fizeram cintas para si."  As vestes de figueira, que Adão e Eva fizeram para si mesmos, representa a justiça própria, ou justiça pela obra humanas, com a qual o pecador tenta se apresentar como justo (coberto, vestido) diante de Deus. Mesmo tendo pecado, Adão e Eva sabiam que teriam de comparecer perante Deus, e ali seriam julgados por seu erro. Paulo declara que "cada um de nós dará contas de si mesmo a Deus" Romanos 14:12. E diz também que "importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo" II Coríntios 5:10.

 

Quando temos uma cerimônia ou festa para ir, surge a pergunta: "Com que roupa eu vou?" 

 

Em relação ao comparecimento do pecador ao JUÍZO DIVINO, a roupa a ser usada ali é muito importante. Quem comparecer ao JUÍZO DIVINO vestido de "veste de figueira", costurada por si mesmo, certamente será condenado no Juízo, e será decretada sua morte eterna. Esse tipo de veste representa nossa própria justiça. Isaías 64:6 declara quanto vale perante Deus nossa justiça própria. Vale tanto quanto um trapo imundo, sujo, rejeitado por todos. Mas os que, pela fé, aceitaram a JUSTIÇA DE DEUS, presente na pessoa e na obra de JESUS de Nazaré, o Messias-Cristo, o Salvador, estarão vestidos de justiça divina, justiça perfeita, justiça aceita e aprovada pelo JUÍZO DIVINO. Tal pessoa será declarada JUSTIFICADA e SALVA pelo Tribunal do Céu, e viverá para sempre em eterna felicidade, na companhia de Jesus e dos santos anjos. A Bíblia afirma que "fez o Senhor Deus vestimenta de peles para Adão e sua mulher, e os vestiu." Gn 3:21. Aquele cordeiro morto no Éden representava figurativa e tipologicamente o CORDEIRO de Deus, Jesus Cristo, que morreria no Calvário como Justiça Perfeita para todo aquele que nEle crê e a Ele se une pela fé, tornando-se discípulo dEle. Paulo declara que todos nós, crentes em Cristo, precisamos estar revestidos "de toda a armadura de Deus, para poder ficar firmes contra as ciladas do Diabo" Efésios 6:11. E uma das maiores ciladas e armadilhas em que o Diabo tenta nos fazer cair é acreditar que podemos ser salvos de qualquer maneira, vestidos em nossos próprios trapos imundos, nossa justiça própria. Alguns até dizem: "Deus me aceita de qualquer jeito ou maneira!"  É verdade até certo ponto. É verdade até ao momento em que você se entrega a Jesus, do jeito que se encontra. Mas depois do encontro com Jesus, já aceito, perdoado e salvo pela Graça, não pode ficar do mesmo jeito, vestido com os mesmos trapos. Você nasceu de novo (João 3:1 a 8) e é, em Cristo, uma "nova criatura" (II Coríntios 5:17). Agora, já justificado e salvo pela fé, qualquer "roupa" não serve mais para você comparecer diante de Deus. Somente as VESTES LIMPAS DA JUSTIÇA DE DEUS serão aceitas no crente. Nada menos do que isto. Não tente justificar diante de Deus sua vida de crente apóstata, pecaminoso, com a desculpa de que Deus o aceita de qualquer jeito. Agora, como crente, você precisa estar no banquete celestial vestido com a veste própria, como ensinou Jesus na Parábola das Bodas (Mateus 22:1 a 14). Não tente impor a Deus sua própria justiça humana imperfeita. Aceite, por fé, a JUSTIÇA perfeita e única que Deus lhe oferece em Cristo. Somente esta Ele aceita e aprova no Juízo Eterno. Nada menos que isto!

 

LIÇÃO DE QUINTA E SEXTA-FEIRAS, dias 14 e 15 de abril.

 

VESTES DE PELE

 

Leitura Bíblica do Dia:  Gênesis 3:21; Gálatas 3:21; Romanos 3:21-28; Levítico 17:11; Apocalipse 12:11; 1Pedro 1:18; 19; Hebreus 9:22.

 

A leitura do Pentateuco – Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio –nos dá amplas informações sobre a tipologia dos sacrifícios feitos no SANTUÁRIO israelita. Já em Gênesis 3:21, lemos que "fez o Senhor Deus vestimenta de peles para Adão e sua mulher, e os vestiu." Este seria o padrão dali em diante. Se alguém, incomodado com seu pecado, queria mudar de vida, queria viver segundo o padrão divino, precisava "abraçar a Aliança" (Isaías 56:1 a 8) que Deus fez com Israel, a qual consistia nas eternas promessas de salvação do Pecado. E nessa promessa divina, feita em Gênesis 3:15, estava preanunciado que um "Descendente" de mulher iria esmagar a cabeça da serpente, Satanás. No ritual do Santuário israelita (leia a partir de Êxodo 25), foi determinado que um CORDEIRO seria morto no sacrifício da manhã e outro no sacrifício da tarde. Este cordeiro morto provia salvação mediante substituição para todos em Israel. E quando alguém pecava, levava ao santuário um CORDEIRO, confessava sua culpa, e matava o cordeiro que o iria substituir. Ele ficaria vivo pelo fato de o cordeiro ter sido morto em seu lugar. Era uma substituição provisória, pois um homem "vale mais que uma ovelha", como Jesus ensinou (leia Mateus 12). Logo, sendo assim, o problema do pecador arrependido e que sacrificara o cordeiro que morria em seu lugar, não estava definitivamente solucionado. Era preciso que um ser humano morresse em lugar de outro ser humano, pois ambos se equivalem. Isaías 53:1 a 12 profetiza que Deus já havia escolhido o CORDEIRO definitivo para o maior dos holocaustos. Este CORDEIRO morreria como "ovelha muda", levando sobre si os pecados, ou feridas, de todos os humanos. João, o Batista, viu a Jesus pela primeira vez, e anunciou diante de todos: "EIS O CORDEIRO DE DEUS QUE TIRA O PECADO DO MUNDO" João 1:29. Chegara o tempo da presença do CORDEIRO DE DEUS entre os humanos. Veio para Se dar em sacrifício vicário e redentivo por toda uma humanidade que se deixara dominar pelo Pecado. O Velho Testamento apresenta os elementos tipológicos, figurativos, escatológicos; o Novo Testamento narra os fatos acontecidos, realizados, históricos, visíveis, onde o TIPO se encontra com o ANTÍTIPO, e a figura encontra sua realidade, e a promessa encontra seu cumprimento, e a profecia escatológica de Gênesis 3:15 e de todo o Pentateuco se torna profecia cumprida.

No sentido humano, as mulheres ricas dos Estados Unidos, da Europa, do Japão e também as mulheres ricas da região sul do Brasil gostam de usar casacos de peles de animais. Elas exibem essas roupas como símbolo de estatos financeiro, pois essas roupas de peles de animais são caríssimas. Hoje, devido à vigilância dos ambientalistas, essas roupas são muito patrulhadas, e algumas mulheres ricas têm medo de as usar, pois algumas delas já foram atacadas na rua pelos patrulheiros do ambientalismo. No sentido bíblico, teológico, as vestes de pele de cordeiro também indicavam um estatos especial de riqueza espiritual. Representava as veste de JUSTIÇA PERFEITA, a Justiça de Cristo, Cordeiro de Deus. Não sofre nenhum patrulhamento do Céu a pessoa que se deixa vestir pela Justiça de Cristo. Esta é a roupa própria para se comparecer à Ceia das Bodas do Cordeiro, citadas em Apocalipse 19:9. Quem aceita se vestir espiritualmente de outras vestes, de outra justiça que não a de Cristo, será recusado na Ceia das Bodas do Cordeiro, que vai acontecer na Nova Jerusalém, no Céu. A decisão é sempre sua.

 

COM QUE ROUPA EU VOU AO BANQUETE CELESTIAL?  Somente com as VESTES DE JUSTIÇA, preparadas pelo Céu, através da Vida e Obra de Jesus de Nazaré, o Filho de Deus. Aceite, pois, a Justiça de Jesus para sua salvação e aceitação perante Deus.

 

Pastor Otoniel Tavares de Carvalho

 

 

 

 

 

 

 



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário